Só investimento em arborização e calçadas viabiliza mobilidade Projeto foi apresentado na Câmara e, para chegar aos objetivos, dependerá de áreas

A Secretaria de Planejamento (Seplan) apresentou, nessa terça-feira (19) à tarde, na Câmara Municipal, o Plano de Mobilidade Urbana, que foi elaborado após a realização de 44 reuniões entre o governo e a população, através de encontros, conferências e audiências. A secretária de Planejamento, Letícia Kirchner, disse que o projeto de lei com o Plano de Mobilidade Urbana deve ser encaminhado para a Câmara no mês que vem. Os municípios devem ter essa definição ainda neste ano para receber verbas federais em áreas como asfalto, recape e ciclovias.

A audiência nessa terça (19) foi chamada pelo vereador Manoel Losila (PDT) e acompanhada ainda pelos vereadores Chiara Ranieri (DEM), Coronel Meira (PSB), Maria Helena Catini (PDT) e Fábio Manfrinato (PP). Ontem à noite, o Plano de Mobilidade foi apresentado ao Conselho do Município, que precisa aprovar a proposta antes da prefeitura enviar para a Câmara. Um dos aspectos considerados é que, para funcionar, o Plano depende de investimentos do município em calçadas, arborização e iluminação pública, uma vez que a mobilidade ativa – sem uso de veículos automotores – entra como prioridade nas ações de governo.

O projeto trabalha em prazos de até 12 anos, e visa aumentar o uso de bicicletas, o deslocamento seguro de pedestres, e a integração de modais com o transporte coletivo. Para atingir esse objetivo, investir em mais estrutura será necessário nos próximos anos. “O Plano de Mobilidade considera que devem ser criados atrativos para o pedestre, e portanto vamos ter que usar a nova Lei das Calçadas, que estabelece um espaço livre mínimo, e na arborização urbana, pois isso vai estimular que mais pessoas prefiram andar a pé ou de bicicleta em uma região de muito calor como a nossa. A iluminação pública também precisa melhorar, dando mais segurança a quem usa as principais vias da cidade no período da noite. Essas ações precisaram acontecer”, lembra.

CICLOVIA

A construção de 80 quilômetros de ciclovias é citada no Plano de Mobilidade, acompanhando vias atuais e também ao lado das linhas férreas que cortam a área urbana de Bauru, onde a topografia é favorável e o percurso interliga diversas regiões. Para isso, a prefeitura buscará verbas federais e emendas parlamentares. O vereador Coronel Meira disse que a prefeitura deveria aproveitar as contrapartidas de empreendimentos para investir nas ciclovias, o que foi bem visto por Letícia Kirchner. Nos primeiros dois anos, 18 quilômetros de ciclovias, ciclofaixas e ciclorrotas serão priorizados. “Vamos ligar as ciclovias atuais, que estão isoladas, e criar a possibilidade dos usuários de bicicleta atravessarem Bauru, o que não é possível atualmente”, destaca.

No transporte coletivo, foram citadas necessidades como modernização do sistema de ônibus, com veículos climatizados. A construção de um terminal urbano é vista como difícil, pois já há sistema de integração que dispensa a concentração dos coletivos em um único local. O uso de mais modais de transporte de forma integrada é um dos pontos ressaltados e que vai direcionar os investimentos caso aprovado pela Câmara.

Fonte: JCNET

Link: https://www.jcnet.com.br/Politica/2019/02/so-investimento-em-arborizacao-e-calcadas-viabiliza-mobilidade.html

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.