Ocupação desordenada preocupa gestores do litoral paulista

Assunto foi discutido por autoridades no seminário Desafios do Litoral Paulista, em Guarujá

A ocupação desordenada das cidades da Baixada Santista foi amplamente discutida, durante o seminário Desafios do Litoral Paulista, realizado na sexta-feira, 29, no Casa Grande Hotel, em Guarujá. A iniciativa, do Sistema Costa Norte de Comunicação em parceria com a prefeitura de Guarujá, reuniu especialistas de diversas áreas para debater os enfrentamentos da região.

As invasões nas cidades litorâneas foi abordada em diversos painéis. Para o presidente da Companhia de Desenvolvimento e Habitação Urbana (CDHU) Humberto Schmidt, o litoral é a área com maior dificuldade de implantação de projetos. “Aqui tem todos os ingredientes problemáticos de outras regiões.

Dificuldade para encontrar áreas para reassentamento de famílias, quando necessário, dificuldade em implantar os projetos pelos custos do solo ou quando está em morro, devido às rochas. Dificuldade da regularização fundiária pelas questões ambientais, falta de espaço etc.”, descreveu.

Em janeiro de 2017, a CDHU, em parceria com a Secretaria de Estado de Habitação, iniciou um mapeamento dos assentamentos precários das regiões metropolitanas de São Paulo (39 cidades); Baixada Santista (9); e Campinas (20), para diagnosticar os assentamentos e o tipo de intervenção necessária. O levantamento ainda está em andamento, mas, segundo Schmidt, já se pode afirmar que as regiões metropolitanas possuem um déficit de habitação de 80%, enquanto 80% da produção da companhia ocorrem no interior.

Márcia de Araújo Barbosa Nunes, gerente do Departamento de Gestão e Desenvolvimento Operacional da Sabesp, na Baixada Santista, destacou as condições de saneamento na região. “O grande problema enfrentado pela Sabesp, em Guarujá e na região, são as áreas de fragilidade social. Essas áreas podem ter o atendimento de água de maneira precária, e estamos tentando buscar atendimento junto com as prefeituras, pois elas são responsáveis pela questão fundiária”.

Luiz Augusto Pereira de Almeida é diretor de marketing da Sobloco Construtora, responsável por empreendimentos como a Riviera de São Lourenço e o Guarujá Central Park; ele mostrou a importância do planejamento urbano. “Nosso levantamento mostra que, em 13 anos, a população da Baixada Santista crescerá em 180 mil pessoas. O planejamento urbano é peça fundamental para acolher essas pessoas”.

Ozires Silva

Cofundador da Embraer e ex-ministro da Infraestrutura, Ozires Silva, 87 anos, emocionou o público com sua história de vida e carreira. Ozires é engenheiro aeronáutico e foi o primeiro presidente da Embraer. Na década de 1960, inspirado em Santos Dumont, encontrou um nicho de mercado e começou a fabricar aviões pequenos e robustos para atuar no setor comercial. A ideia foi tão bem-sucedida que transformou sua empresa, a Embraer, na maior fabricante de aviões executivos do mundo.

Hoje, Ozires é reitor do Centro Universitário São Judas – Campus Unimonte, em Santos, e investe em educação. “A educação é a base de tudo. A vida é uma escada muito íngreme, com degraus muito longos, e, muitas vezes, quando a gente encontra um degrau muito alto a gente desiste. Mas eu encontrei degraus altos e não desisti. Eu, sinceramente, nunca esperava ter vivido o suficiente para ver a minha empresa, que eu criei em 1970, ser uma das maiores empresas do mundo”, disse emocionado.

A abertura do evento ficou a cargo do prefeito de Guarujá Válter Suman; já o encerramento ocorreu com a presença de Jânio Francisco Benith, secretário de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado. Também palestraram Renato Pastorello, psicólogo da Secretaria de Saúde do estado de São Paulo; Silvio Figueiredo, diretor do Departamento de Assuntos Fundiários Urbanos (Ministério das Cidades); José Eduardo Creste, pró-reitor da Unoeste; Marcelo Pedroso, diretor de Relações Externas da Iata, no Brasil; Herculano Passos, deputado federal; Caio França, deputado estadual; Marcelo Squassoni, deputado federal; Eduardo Sanovicz, presidente da Associações Brasileira das Empresas Aéreas (Abear); e Bayard Freitas Umbuzeiro Filho, diretor-presidente da Transbrasa Transitária Brasileira.

Sistema Costa Norte de Comunicação
Por Marina Aguiar 29/06/2018

Link: http://d.costanorte.com.br/geral/19340/ocupacao-desordenada-preocupa-gestores-do-litoral-paulista